Entenda o que é vishing e como se proteger desse tipo de ataque

A tecnologia vem avançando bastante ao longo dos anos, nos permitindo hoje a conquista de insights valiosos na intenção de personalizar as entregas conforme o interesse dos consumidores. Entretanto, essa ligação entre cliente e marca precisa passar por um gerenciamento de riscos. E, consequentemente, prevenir de ataques como o vishing.

A construção da autoridade é muito importante para o sucesso das marcas. Atualmente, quem não está na internet perde grandes oportunidades de negócio. No entanto, a conexão com seu público-alvo sofrerá prejuízos caso os profissionais de TI não identifiquem cenários nocivos e não saibam a melhor maneira de preveni-los e resolvê-los. 

De qualquer forma, estamos aqui em busca de ampliar seu conhecimento e mostrar as boas práticas que colaboram para a segurança da sua empresa. Por isso, continue conosco e veja abaixo o que significa esse e outros termos em torno dos ataques cibernéticos. Boa leitura! 

Vishing? Entenda o que é essa definição

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) simboliza um grande marco na garantia das empresas no desenvolvimento de bons planos de ação com foco na segurança de rede. Atualmente, devido a tantas tecnologias que nos cercam, é essencial garantir a transparência do tratamento de dados aos seus titulares. 

Assim, é possível reforçar a confiança na sua marca, impedir que golpistas se passem por você e, desse modo, consigam ter acesso a dados restritos e sensíveis. O vishing é uma dessas tentativas de golpe que visam roubar/capturar determinadas informações da sua clientela.

Essa é uma técnica criminosa conhecida como Voice Phishing. Por meio de chamadas telefônicas, esses invasores usam da persuasão para que determinados usuários confirmem dados pessoais como e-mail, CPF, número da identidade, etc. 

Normalmente, eles não têm informação nenhuma, mas se passam por uma determinada empresa na intenção adquirir informações que devem ser confidenciais. 

É possível evitar esse ataque?

Inegavelmente, a presença da LGPD nas empresas que tratam e armazenam dados facilitou muito a busca por soluções que previnem os crimes cibernéticos

Contudo, é importante lembrar que os golpistas sempre encontraram novas possibilidades e identificam brechas de segurança que possibilitam envio de malwares ou invasão de dados. 

Entretanto, no caso do vishing, a principal recomendação é controlar de forma eficiente os canais de comunicação com seus clientes. Sob esse ponto de vista, oriente para que eles nunca forneçam dados pessoais por telefone. Se forem resolver pendências específicas, aconselhe recorrer aos meios de contato oficiais da sua marca. 

Vishing x Phishing x Smishing – conheça as diferenças entre esses golpes 

Agora que você já conhece o que é vishing, conheça também outros tipos de ataques cibernéticos para que sua empresa saiba a melhor maneira de proteger e oferecer total segurança ao público-alvo.

Phishing

A vulnerabilidade humana é um dos fatores que mais trazem riscos às empresas. Entretanto, com a transformação digital, o ambiente de trabalho teve a oportunidade de apostar na integração homem-máquina, realidade essa que dialoga com as diretrizes da Indústria 4.0.

Sob esse ponto de vista, é essencial manter a proteção dos dados empresariais e evitar vazamentos, bem como ataques cibernéticos específicos, tal qual o phishing. Trata-se de uma tentativa de golpe realizado por meio de comunicações eletrônicas, ou seja,  redes sociais, sites ou por e-mails, na maioria dos casos. 

Normalmente são mensagens que focam em um sentimento de urgência. Assim a vítima age por impulso e acaba por entregar seus dados a um desconhecido que se passa pela empresa. Aliás, eles podem se passar por uma pessoa física ou jurídica de confiança.

Além de danos financeiros, esses golpistas mancham a reputação da sua imagem. Por isso, é essencial orientar os usuários a sempre verificar o endereço de e-mail de quem enviou a mensagem, conte com a verificação do antivírus ao baixar arquivos e também no momento de transferir dinheiro ou arquivos.

Smishing

Também conhecido como SMS Phishing, esse tipo de ataque tem o intuito de enviar um SMS com um link ardiloso em busca de ter acesso aos dados do usuário. Neste caso, é recomendável que os clientes não preencham os formulários ou nem mesmo respondam à mensagem enviada.

Além disso, uma ótima maneira de orientar pessoas a não caírem nesse golpe, é o ato de verificar se o site tem https. Afinal, ele precisa saber que esse recurso se trata de um protocolo de segurança que facilita a comunicação segura e permite a transmissão de dados por meio de um canal de confiança.

Ou seja, os ataques variam de acordo com os tipos de contato com o público. Tanto vishing, phishing e smishing devem ser prioridades nas estratégias que buscam evitar cada tentativa de ataque e estabelecer um sistema de proteção que não prejudique a integridade dos usuários e mantenha a boa experiência da clientela com a sua marca.

Exemplos de ataque vishing mais comuns

Geralmente, os golpistas enviam ofertas muito distantes da realidade. Eles são bastante detalhistas, a ponto de simular com exatidão sons de espera e transferência de departamentos muito recorrentes nos ambientes de telemarketing. 

Os casos mais comuns são fraudes de cartão de crédito, ocasião em que eles pedem dados sensíveis como se fossem funcionários de um determinado banco.

Atualmente, é interessante notar o uso de gravações ou vozes automatizadas na tentativa de vishing. Neste caso, é interessante que até mesmo os próprios profissionais de TI estejam atentos a essas ações, uma vez que até eles estão sujeitos a cair em tais alternativas de golpe.

Recentemente, o pai do influenciador digital Dario Centurione, dono da página Almanaque SOS, caiu em um desses golpes. Os criminosos clonaram a voz de Dario e ligaram para o seu pai pedindo uma certa quantia em dinheiro. 

A voz clonada era tão similar à de Centurione que seu pai, que é especialista em som, não notou nenhuma diferença. Isso mostra como os golpes estão cada vez mais eficientes e sofisticados, o que pode ser ainda mais prejudicial quando se trata de crimes envolvendo informações pessoais.

Dicas para prevenção de ataques 

Primeiramente é essencial contar com um sistema de segurança de informação. Assim, a equipe pode escolher ferramentas de segurança cibernética e também orientar, por meio de treinamentos corporativos, a evitarem tentativas de vishing, smishing e outros tipos de phishing.

É possível identificar detalhes que mostram que claramente é uma tentativa de fraude. Por exemplo, a divergência da identidade visual do e-mail com a marca original, bem como erros ortográficos e gramaticais no texto e demais canais eletrônicos, são marcas comuns que auxiliam a identificar uma tentativa de golpe.

Principalmente no caso de vishing, é preciso educar sua base de clientes e prospects com apoio de conteúdos explicativos as melhores maneiras de agir diante de pedidos feitos durante uma ligação, conferir o número antes de atender a chamada e sempre desconfiar quando solicitem dados pessoais.

Gostou do nosso conteúdo? Leia também nosso artigo sobre Política de Segurança da Informação e saiba mais sobre formas seguras de lidar com as informações na sua empresa.

Avalie este post