Observabilidade na TI: o que é, pilares e diferença para monitoramento

O que é observabilidade em TI: o que é, pilares e diferença para monitoramento

A complexidade da TI atualmente requer uma capacidade maior de análise e monitoramento

Aliás, quando falamos em acompanhar as operações e processos, devemos pensar além, em outro conceito mais amplo: a observabilidade.

Essa é uma capacidade de entender o que está acontecendo na infraestrutura e acompanhar de forma ativa para se manter consistente. 

Desse modo, é um estado de alerta imprescindível para se manter em tempos de transformação digital.

Para entender melhor e aplicar esse conceito de observabilidade com sucesso, confira o resto deste conteúdo. 

Conheça a melhor solução de segurança para empresas de infraestrutura de redes!

Leia também:

O que é observabilidade em TI?

A observabilidade na TI é a capacidade de analisar, monitorar, rastrear e compreender os sistemas e os componentes da infraestrutura de tecnologia. É um passo além com relação ao simples monitoramento — como veremos em um comparativo mais adiante.

Em uma definição mais direta e simples, trata-se de uma visão que tenta monitorar e entender os padrões de funcionamento de aplicações. A partir disso, traça planos de ação, buscando a sobrevivência e o sucesso.

O objetivo é saber o que está acontecendo e como está acontecendo. Tentar entender questões cruciais para definir uma postura de reação. 

Esse termo em TI compreende aspectos de performance, de segurança, de consistência e busca manter os sistemas em dia, estáveis, funcionais. 

O ideal é captar os problemas no tempo mais rápido possível para tentar impedir que eles cresçam. Contudo, vale frisar, seu foco é não só ser reativo, mas também ser propositivo, afetando positivamente a cultura.

Assim, busca-se entender não somente o que está acontecendo, mas as causas, a partir de uma investigação mais profunda. Colocam-se na mesa os indicadores certos para verificar o andamento das operações e outros metadados importantes. 

Quando falamos nesse conceito, precisamos nos ater a subtemas como detecção, rastreamento, disponibilidade, telemetria e métricas em geral. 

Elementos da observabilidade

Para seguir na compreensão desse assunto, vamos agora comentar um pouco os elementos que compõem essa ideia. 

Contextualização

Um foco é justamente a contextualização dos dados, ou seja, o esforço em atender cada métrica como parte de um mundo maior. O contexto reforça a compreensão de cada dado e permite ações otimizadas, cada vez mais precisas.

Open instrumentation

Foco em código aberto e em visibilidade para tornar a gestão de TI mais simples e transparente. 

Entidades conectadas

Agregação de metadados, entidades e dados, de modo a gerar essa harmonia na gestão e na governança

Qual é a diferença entre monitoramento e observabilidade?

monitoramento e observabilidade: entenda a diferença

Quando falamos em observabilidade em TI, é muito comum pensar em monitoramento e fazer uma confusão entre os termos. Afinal, eles são um tanto similares e podem até ser sinônimos a depender do contexto.

Contudo, carregam uma diferença crucial. O monitoramento, como visto tradicionalmente, é focado em uma postura reativa, com atenção maior, sobretudo, a elementos conhecidos. 

Em suma, monitorar é entender os padrões já identificados previamente e tentar identificá-los em novas ocorrências. Não é uma atividade tão focada no novo e no que pode surgir de inesperado.

Ao passo que a observabilidade traz uma postura mais proativa, mais autônoma e mais focada em identificar e rastrear novos padrões. Com o apoio da telemetria, é possível monitorar novos acontecimentos e estudá-los com maior inteligência.

A observabilidade traz uma consonância de métricas, logs e rastreamento (elementos que veremos a seguir) para estabelecer uma cultura mais consistente e visível. Expande a capacidade de monitoramento, como uma espécie de monitoramento mais avançado.

Podemos, inclusive, entender o monitoramento com uma parte da observabilidade. Este é um conceito mais amplo, mais abrangente do que aquele, pois traz um comprometimento maior. 

É um monitoramento avançado, focado em desempenho, em métricas, em disponibilidade em segurança e muito mais. 

Funções da observabilidade

Vamos agora navegar um pouco mais pelas funções. Assim, ampliaremos ainda mais esse conceito ao estudar seus componentes. 

Detectar problemas

Um dos pontos principais é a detecção de problemas. É uma detecção ativa, focada em monitoramento e em alertas precisos quando algo ocorre. 

Nesse sentido, faz uso de métricas-chave e testes para saber exatamente onde olhar e como lidar com possíveis impactos.

A maturidade passa a compreender os problemas como desafios reais, a serem enfrentados, com uma visão mais consciente e segura. Dessa forma, a empresa consegue ampliar suas operações, desenvolver seus processos e expandir para novos resultados. 

A detecção envolve instrumentos de telemetria, identificação de anomalias, monitoramento de performance, monitoramento focado em experiência e muito mais. 

Investigar problemas

A parte de investigação é focada em tentar entender algo que está dando errado enquanto o problema está acontecendo. Nesse sentido, é uma visão que tenta traçar novos planos e ações enquanto os riscos estão em andamento, com foco na contenção de danos também.

A investigação investe em:

  • rastreamento, para entender a origem e as características dos problemas; 
  • e em visualização, de modo a tentar transformar o cenário em uma plataforma facilmente compreensível de informações. 

Desse modo, é possível transformar o problema maior, incompreensível, em algo detectável, enfrentável, visível. Com essa visibilidade, fica mais fácil agir e solucionar os obstáculos com ações simples e rápidas. 

A visualização também foca em apresentar os dados e os cenários de formas mais fáceis, com dashboards, relatórios, gráficos e outros instrumentos.

Quando usar a observabilidade?

Para usar as ferramentas de observabilidade a seu favor e obter bons resultados, a empresa deve estar consciente de seus objetivos. 

Inicialmente, é fundamental entender que o foco na experiência do cliente é um dos motores para aplicar esse conceito. Então, quando for preciso impulsionar essa questão, a empresa pode adotar a filosofia da observação para ampliar sua capacidade de monitoramento.

Afinal, a partir da melhoria interna, é viável alcançar essa melhor relação com os clientes, na ponta final. 

Outro fator de extrema importância é pensar nos desenvolvedores internos. O conceito de observabilidade pode ser útil para otimizar a visão do desenvolvedor e o trabalho dele, sendo ótimo, então, como uma ferramenta para lidar com seus desafios principais.

No geral, quando a empresa precisar visualizar e melhorar a visão sobre questões problemáticas, esse conceito é crucial para auxiliar. 

Quais são os benefícios da observabilidade?

benefícios da observabilidade na TI

Vamos entender agora em detalhes os benefícios desse conceito.

Segurança em tempo real

Um dos pontos é justamente a proteção em tempo real. Como já apontamos aqui, a atenção da observabilidade na TI consiste em rastrear ameaças e em definir alertas para descobrir situações perigosas em tempo hábil. 

Portanto, é possível remover essas ameaças, neutralizar seus impactos e garantir uma visão mais consciente e pronta para otimizar processos. 

Caso algum incidente surja, a empresa atua com os alertas. Depois, é capaz de investigar e entender de fato o que aconteceu para traçar planos de reparação.

A partir disso, torna-se viável atender a essa demanda por maior segurança, algo típico da transformação digital e dos tempos em que vivemos. 

Produtividade

Também é interessante pensar na produtividade. A atenção na observância permite aumentar a capacidade de suprir as demandas diariamente. Em outras palavras, a empresa consegue entregar mais, em menos tempo.

Isso porque as operações serão mantidas estáveis e quaisquer mudanças serão acompanhadas de perto. O foco na continuidade das operações e em disponibilidade vai recompensar as empresas com maior lucratividade. 

Menos custos

As ferramentas de observabilidade em TI também representam menos gastos, especialmente gastos inesperados. A análise mais robusta que o monitoramento propõe permite reduzir as despesas e tornar a produção mais enxuta e simples.

Com menos problemas de segurança para resolver, as organizações gastam menos e conseguem manter uma eficiência maior nas finanças. 

Workflow mais rápido

Além da produtividade, é possível notar um ritmo de trabalho mais ágil por conta desse conceito em prática. Percebe-se que todos na TI poderão trabalhar mais rápido, com apoio das ferramentas de observação e monitoramento profundo.

Cada erro será detectado para que a empresa consiga otimizar seus processos e alcançar a agilidade que o mercado exige. Da mesma forma, o foco em segurança permite assegurar essa questão. 

Eficácia operacional

Um conceito associado com o que falamos antes é justamente o da eficácia operacional. A gestão da performance, que faz parte da observabilidade, possibilita usar melhor os recursos internos para suprir as demandas da empresa.

Ou seja, é viável adotar os mecanismos ideais para saber como elevar a qualidade dos processos. Assim, a organização se mantém competitiva, com a TI cooperando ativamente para o dia a dia. 

Melhor experiência

Claro, temos que mencionar também a experiência do usuário, um ponto central. O foco em segurança e em performance pode ajudar ativamente para que a TI entregue mais valor ao cliente e esteja mais presente para eles. 

Dessa forma, é possível satisfazer os clientes e conquistar mais pessoas. 

Previsibilidade

Outra consequência importante: a previsibilidade. Diante de uma cultura focada em monitoramentos avançados, com alertas, detecção e rastreamento, é possível antecipar problemas e minimizar seus impactos.

Ou seja, a empresa não será surpreendida, pois poderá antever o que vai acontecer e apresentar soluções eficazes em tempo. Diante disso, torna-se mais fácil traçar planos de expansão, para alcançar metas e chegar ao sucesso no futuro. 

Uma negociação com outra organização, por exemplo, para fusão ou aquisição se torna bem mais fácil com essa capacidade. É possível prever as condições financeiras e produtivas da organização, com uma noção clara dos possíveis problemas. 

Quais são os 3 pilares da observabilidade?

Quais são os 3 pilares da observabilidade?

Agora, vamos desenvolver os três principais pilares desse conceito em TI. 

Métricas

As métricas são os valores que quantificam o desempenho e permitem acompanhar a performance da infraestrutura de forma clara. São elementos definidos de acordo com os objetivos, pois são escolhidos por conta da necessidade.

É importante ter as métricas certas para olhar, pois isso evita perda de tempo e otimiza os processos. Com isso, é viável tomar as melhores decisões, garantir o foco nas questões ideais e prevenir retrabalho.

As métricas são, sobretudo, um instrumento importante para responder às perguntas cruciais sobre a infraestrutura. Para entender melhor o momento e saber como agir, esses quantificadores ajudam bastante.

Rastreamento

Acompanha as operações, desde o início até o fim. Monitora tudo e estabelece formas de entender como as ações estão sendo executadas. 

O rastreamento, como já falamos, é um dos instrumentos para entender o que está acontecendo, seja em casos de riscos concretizados, seja em casos de normalidade. 

Logs de evento

Outro grande pilar desse conceito é a noção de log. São registros de eventos, que descrevem a data e a hora do acontecimento, sem muitas informações em detalhes. São registros rápidos, que permitem esse acompanhamento. 

Os logs podem ser combinados com outros dados e com métricas para uma visão mais profunda. A ideia é manter essa visão constante em tudo o que se passa nos sistemas, de modo a garantir uma postura mais consciente e proativa.

Conclusão

Como conseguimos visualizar, a observabilidade consiste em uma capacidade de monitoramento mais profunda, proativa, consistente e ampla. Dessa forma, busca auxiliar as empresas a se manterem seguras, com um bom desempenho nas operações.

Os pilares são métricas, logs e rastreamento. O objetivo é acompanhar todos os traços e registros, sempre com uma visão em performance. Dessa maneira, a organização consegue evoluir e gerenciar melhor sua infraestrutura. 

Avalie este post